Você já deve ter ouvido algumas expressões como marca empregadora, employer branding, employee experience, jornada do colaborador. Estratégias que antes era usadas apenas pelo marketing para atrair consumidores, o RH também tem usado para atrair e manter seus talentos, o que parece bom.

Em tempos de Glassdoor, nenhuma empresa pode divulgar o que não é, porque o funcionário (ou o ex funcionário) pode desmentir publicamente. Por isso, algumas empresas já estão criando um ambiente de trabalho mais engajador, desenvolvendo novas ferramentas de trabalho, revendo e simplificando processos, cuidando da infraestrutura física e digital, incorporando o home office, e (ufa!), para alguns segmentos, pensando no officeless.

Muitas dessas mudanças ocorrem para atrair e manter talentos. Com os desafios econômicos deste país e a tecnologia acessível simplificando tudo, parece que só os talentos vão permanecer no mercado de trabalho. E temos vários talentos buscando recolocação.


 

Mas o que é um talento? Como você sabe se é um?

Tirando os sinais mais óbvios, como metas atingidas, feedbacks positivos, promoção, projetos seus implementados etc, a resposta é… depende da empresa!

Recentemente passei um dia em um evento com profissionais de RH, para entender o que eles querem, quais são suas dores e expectativas atuais. Como empresária do segmento de idiomas, preciso criar soluções para problemas reais deles, e, acima de tudo, quero compreender profundamente meu cliente. E imagino que você tenha a mesma necessidade, ou seja, compreender profundamente o que sua empresa espera de você. E ainda ter clareza sobre o que esperar dela. Se no passado o trabalho era apenas uma forma de remuneração, hoje ele assume um pouco as funções da religião, da família e das artes, isto é, tem de ter propósito e trazer felicidade.

Se você quer se tornar um talento – para se manter no emprego ou ter sucesso em sua carreira – e também quer ser feliz na trajetória, deve começar refletindo sobre dois aspectos:

 

1. FIT CULTURAL

O primeiro aspecto, fit cultural, tem a ver com o conhecimento profundo de sua empresa, como mencionei no início deste texto. Você realmente conhece algo tão intangível como a cultura de sua empresa? Por exemplo, veja alguns tipos de cultura de empresas conhecidas:

– Acolhimento (Disney)
– Propósito (Whole Food)
– Aprendizado (Tesla)
– Prazer (Zappo’s)
– Resultado (AB Inbev)
– Autoridade (Huwaei)
– Segurança (Lloyd’s of London)
– Ordem (Securities and Exchange Commission – SEC)

É claro que esta lista está simplificada, pois uma empresa pode ter uma cultura que mistura alguns desses tipos. Mas você consegue pensar na sua empresa e entender sua essência, traduzida na cultura organizacional? Se está buscando uma recolocação, tem pesquisado sobre isso a cada nova oportunidade?

Isso é bem importante, porque não tem sentido a empresa investir em employer branding para atrair um profissional considerado talento em outra empresa, sem que ambos analisem, antes da contratação, se há fit cultural. Quando a contratação ocorre e não há este fit, o profissional não consegue colocar todo o seu potencial a serviço da nova empresa. Ele sente que há algo errado, a empresa se frustra (porque ele era considerado um talento) e o profissional sai – voluntária ou involuntariamente.

 

2. HABILIDADES DO FUTURO

O segundo aspecto tem a ver com as habilidades do futuro. Há várias listinhas sobre isso por aí, mas esta faz bastante sentido para mim:

– Capacidade de resolver problemas complexos
– Raciocínio crítico
– Criatividade
– Gestão de Pessoas
– Trabalho em time
– Inteligência Emocional
– Capacidade de refletir e tomar decisões acertadas
– Inclinação para Serviços
– Negociação
– Flexibilidade Cognitiva

Aqui você deve compreender:

1. quais delas você já tem, e pensar em como potencializá-las
2. quais você não tem e não precisa hoje (cuidado com isso, porque você pode precisar delas amanhã. Sim, daqui a 24 horas!) e
3. quais você não tem e precisa urgentemente (aqui você precisa colocar ações na agenda semanal – um passo na direção do desenvolvimento de cada uma, incessantemente, até conquistar)

E aí? Sabe avaliar se tem fit com a cultura de uma empresa? Tem pelo menos 80% das habilidades necessárias hoje para contribuir com o futuro de uma empresa? Tem plano de ação pros 20% e disciplina para conquistar o que falta?

Se respondeu SIM, você é um talento. Não perca o foco, cuide do seu emocional e das suas relações, faça uma boa gestão do seu tempo e seja feliz.

 

Escrito por Rosangela Souza e publicado no portal Vagas Profissões. Editado para o blog da Companhia de Idiomas.

WhatsApp chat