O inglês tem uma característica bastante peculiar para nós brasileiros em relação a frases negativas, e que pode confundir um pouquinho. Para começar, há duas formas diferentes para dizer NÃO em inglês. São elas:

NO que é o oposto de YES e que também significa “nenhum, nenhuma”.

NOT, usado nas frases negativas junto com o verbo TO BE, os auxiliares DO, DOES, DID, WILL, WOULD, HAVE, HAS, HAD e os verbos modais CAN, COULD, SHOULD, MAY, MIGHT.

Para negar ainda existem outros termos, como: NEVER (nunca), HARDLY (mal), NOBODY (ninguém), NO ONE (ninguém), NOTHING (nada), NOWHERE (nenhum lugar), NO LONGER (não mais).

Não haveria problemas se fosse só isso envolvendo frases negativas em inglês. A lógica para esta estrutura gramatical é matemática: quando negamos duas vezes, a segunda negativa anula a primeira, transformando a frase numa afirmativa:

(-) x (-) = (+)

Ao ouvir alguém dizer: “Eu não sei nada” entendemos que a pessoa não tem conhecimento algum em português. Porém, quando traduzimos para o inglês não dizemos: “I don’t know nothing”, dizemos: “I don’t know anything” ou “I know nothing”.

Outros exemplos de Double Negative:

Eu não vejo nenhuma saída.
I don’t see any way out.
I see no way out. (outra possibilidade)

Ele não come nenhuma fruta.
He doesn’t eat any fruit.
He eats no fruit.

Apesar de não ser considerada Standard English (Inglês Padrão), as Double Negatives (Negativa Dupla) são comuns na linguagem coloquial e é possível ouvi-las em filmes, músicas e em conversas bem informais. Todos os idiomas têm a norma culta e a coloquial e temos de ter o conhecimento para saber usar essas estruturas classificadas como Standard e Nonstandard, ou seja, os níveis de formalidade. Em uma entrevista de emprego você não usa vocabulário e estruturas gramaticais que sejam Nonstandard porque irá prejudicar, com certeza, a sua continuidade no processo seletivo.

Em alguns casos, como da música Another Brick in the Wall, da banda Pink Floyd, há uma licença poética para enfatizar a intenção de negação da ideia:

We don’t need no education

We don’t need no thought control
Nós não precisamos de nenhuma educação
Nós não precisamos de nenhum controle de pensamento

I don’t need no arms around me

And I don’t need no drugs to calm me
Eu não preciso de nenhum braço me segurando
E eu não preciso de nenhum remédio/ droga para me acalmar

Para acompanhar a letra e ouvir esse clássico do rock, acesse:
https://www.vagalume.com.br/pink-floyd/another-brick-in-the-wall.html

 

Exercício

Agora vamos praticar! Para isso, reescreva essas frases segundo a norma culta do inglês:

1. He isn’t saying nothing.
2. I don’t need no help.
3. She didn’t see nobody.
4. I didn’t do nothing.
5. She doesn’t let none of her students use the cell phone in class.
6. I didn’t hear nothing.
7. She never danced with nobody.
8. He wasn’t called for no job interview.
9. I don’t have no previous experience.

Respostas:
1. He isn’t saying anything. / He is saying nothing.
2. I don’t need any help. / I need no help.
3. She didn’t see anybody. / She saw nobody.
4. I didn’t do anything. / I did nothing.
5. She doesn’t let any of her students use the cell phone in class. / She lets none of her…
6. I didn’t hear anything. / I heard nothing.
7. She never danced with anybody.
8. He wasn’t called for any job interview. / He was called for no job interview.
9. I don’t have any previous experience. / I have no previous experience.

Escrito por Lígia Velozo Crispino e publicado na coluna semanal de inglês da Revista Exame. Editado para o blog da Companhia de Idiomas.

WhatsApp chat