Nem todas as pessoas aprendem da mesma forma, certo?
Use o questionário abaixo para saber como educar melhor seus alunos.

Caso você não seja professor, irá ajudá-lo a entender como você aprende e melhorar sua maneira de estudar uma língua estrangeira.

Questionário SILL – sobre estratégias de aprendizagem

[CORTAR]As estratégias listadas em cada categoria não esgotam todas as possibilidades. Portanto, você, professor(a), pode decidir modificar alguma, apagar ou adicionar estratégias que considere mais relevantes a seus alunos. Você poderá também optar por trabalhar apenas uma sessão por vez com seus alunos.
Aqui está um Plano de Aula básico para a aplicação do DELL:

1. Explique aos alunos que responderão um questionário e que não há respostas corretas. Os resultados os ajudarão a entender como estão aprendendo no momento e como poderiam aprender com maior eficácia ainda.
2. Alunos completam o questionário – cerca de 15 minutos.
3. Alunos discutem suas respostas em pares – o que funciona ou não para cada um.
4. Discussão aberta com o grupo todo: há ainda outras estratégias que poderiam usar? Quais os benefícios de utilizar uma gama maior de estratégias? Como verificar quais são boas para cada um?
INVENTÁRIO DE ESTRATÉGIAS PARA APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

Você encontrará afirmações sobre a aprendizagem de inglês. Por favor leia cada afirmação e escreva as respostas (1, 2, 3, 4, 5) que correspondem ao grau de verdade da afirmação:

1. NUNCA OU QUASE NUNCA VERDADEIRA

2. NORMALMENTE NÃO VERDADEIRA

3. DE CERTA FORMA VERDADEIRA

4. NORMALMENTE VERDADEIRA

5. SEMPRE OU QUASE SEMPRE VERDADEIRA

Parte A – estratégias de memória

1. Tento estabelecer relações entre o que eu já sei e as coisas novas que eu aprendo.

2. Escrevo frases com as novas palavras como forma de memorizá-las.

3. Faço conexão do som de uma nova palavra com uma imagem desta para ajudar-me a memorizá-la.

4. Lembro-me de uma palavra nova fazendo uma imagem mental da situação na qual a palavra poderia ser usada.

5. Uso rimas para lembrar novas palavras.

6. Uso cartões-relâmpagos para lembrar novas palavras na língua-alvo.

7. Dramatizo fisicamente as palavras novas.

8. Frequentemente faço uma revisão das lições.

9. Recordo as palavras novas lembrando-me da sua localização na página, no quadro, ou em um cartaz na rua.

Parte B – estratégias cognitivas

10. Digo ou escrevo novas palavras várias vezes.

11. Tento falar com nativos do idioma.

12. Pratico os sons do novo idioma.

13. Uso as palavras que eu reconheço de formas diferentes.

14. Tomo a iniciativa de começar conversações na língua-alvo.

15. Vejo programas na TV ou vou ao cinema para assistir filmes falados por nativos.

16. Leio jornais, revistas, artigos, ou similares na língua-alvo.

17. Faço anotações, escrevo bilhetes, cartas ou relatórios.

18. Primeiro dou uma lida rápida depois volto e leio cuidadosamente, prestando atenção aos detalhes.

19. Procuro palavras em português que são semelhantes às novas palavras.

20. Tento encontrar padrões (modelos).

21. Descubro o significado das palavras decompondo-as em partes que eu entenda.

22. Tento não traduzir palavra por palavra.

23. Faço sumário das informações que ouço ou leio.

Parte C – estratégias de compensação

24. Para entender palavras desconhecidas, eu tento adivinhar seu significado.

25. Quando eu não consigo me lembrar de uma palavra, eu faço gestos.

26. Experimento novas palavras, mesmo não sabendo se estão competamente corretas na língua-alvo.

27. Leio sem olhar cada palavra nova no dicionário,

28. Tento adivinhar o que a outra pessoa dirá em seguida.

29. Se eu não me lembro de uma palavra, eu uso uma palavra ou frase que significa a mesma coisa.

Parte D – estratégias metacognitivas

30. Tento criar o máximo de oportunidades para usar o idioma.

31. Observo meus erros e uso isto para melhorar.

32. Presto atenção quando alguém está falando na língua-alvo.

33. Tento descobrir formas para ser um melhor aprendiz.

34. Planejo minha agenda de forma a ter tempo suficiente para estudar.

35. Procuro pessoas com quem eu possa conversar na língua-alvo.

36. Tento criar o máximo de oportunidades de ler.

37. Tenho objetivos claros para melhorar minhas habilidades.

38. Penso sobre meu progresso na aprendizagem.

Parte E – estratégias afetivas

39. Tento ficar calmo(a) sempre que fico com medo de usar o idioma.

40. Encorajo-me a falar mesmo quando receio cometer erros.

41. Eu me dou uma recompensa quando me saio bem em situações na língua-alvo.

42. Observo se estou tenso(a) ou nervoso(a) quando estou estudando ou usando o idioma.

43. Anoto meu sentimentos em um diário sobre a aprendizagem.

44. Converso com outras pessoas sobre como me sinto quando estou aprendendo.

Parte F – estratégias sociais

45. Se não entendo algo, peço a outra pessoa para falar mais devagar ou para repetir.

46. Peço aos falantes nativos para me corrigir quando falo.
47. Pratico o idioma com outros alunos.

48. Peço ajuda a falantes nativos ou mais experientes.

49. Faço perguntas no idioma.

50. Tento aprender sobre a cultura dos falantes do idioma.

por Maristela Oliveira – Coordenadora

WhatsApp chat