“Em uma startup, você tem de overinvest em Customer Success, ou ir para o growth hacking, entendeu?”

Não!!! Mesmo que você domine o inglês, está ficando cada vez mais difícil entender orientações ou opiniões em textos, palestras, cursos, emails e reuniões sobre algumas áreas de negócio. Se você trabalha em uma empresa provavelmente já se deparou com pelo menos uma das palavras e expressões deste artigo. Dependendo da cultura da sua empresa, é melhor você não apenas saber o que elas significam, mas principalmente pensar sobre eles e usar os conceitos no seu dia a dia. Hoje coloquei aqui 10 termos que ouvi/li recentemente – alguns bem conhecidos e outros bastante novos – em frases que misturam português e inglês, exatamente como foram faladas/escritas por aí. Se você entender tudo, está bem atualizado, especialmente em temas como Marketing  e Customer Success. A frase acima? Você vai entender se ler até o fim 😉

Leia Mais

Que a eficiência, minha produtividade, a capacidade de executar o plano e de realizar as tarefas a mim designadas, que tudo isso não me impeça de ser sensível e perceber as reais necessidades da empresa, do cliente e do meu colega. Que a eficiência não me impeça de ser amável, de desacelerar quando preciso ter sabedoria e decisão acertada, de parar tudo para ouvir alguém com interesse genuíno.

Leia Mais

Estamos vivenciando um paradoxo no mercado de trabalho. Por um lado, as gerações chegando às empresas não estão encontrando o ambiente desejado para seus sonhos e habilidades. Isso porque muitas delas ainda têm uma cultura que já não apresenta aderência ao papel do trabalho em suas vidas.

Os jovens preferem seguir o caminho oposto ao dos pais, que escolhiam um curso mais tradicional, ficavam muito tempo ou a vida toda na mesma empresa e viam o trabalho apenas como um meio de pagar as contas, como o estudo dos filhos; poupar para comprar imóvel, carro; fazer passeios e viagens. Os jovens procuram propósito no ambiente profissional, querem se sentir parte de um grupo que busca resultados. Se não tiverem o que desejam, vão se desmotivar e ir atrás do que acreditam.

Por outro lado, o ambiente extremamente competitivo tem exigido mais e mais dos negócios. A fim de fazer frente ao cenário hostil, as empresas têm buscado os resultados necessários através da contratação de profissionais extremamente qualificados, mas que também não representem um alto custo para a folha. Porém, as empresas afirmam que muitos jovens, com menos de 24 anos, não têm habilidades e bagagem suficientes que justifiquem a contratação. Em parte, isso acontece por conta das falhas no sistema educacional para formação de profissionais no Brasil.

Leia Mais

A competição pode nos tornar pessoas irreconhecíveis, especialmente em um ambiente onde o alto nível de desempenho é constantemente cobrado.

No dia a dia das organizações, aprendemos a identificar os alvos estabelecidos, a lançar as flechas, a tentar atingir esses alvos incansavelmente. E, principalmente, a dar aquela olhadinha para a técnica e para o resultado do colega ao lado.

Precisamos parar e observar que tipo de flecha usamos, se atingimos pessoas de raspão nesta trajetória rumo ao alvo, e se precisamos mesmo nos comparar o tempo todo. Roberto Tranjan fala deste tema no livro O Velho e o Menino (que eu recomendo a leitura).

Talvez também seja hora de modular a nossa competição – impregnada devido aos anos de treinamento, reuniões e medições – e que já levou tanta gente boa ao suicídio, morte por stress, doença crônica ou a uma profunda infelicidade. Já vivemos bastante para entender que resultado financeiro nenhum vale a pena sem saúde física e mental, ética e alegria de viver.

Por isso, faça este teste – simples e curto – que foi elaborado apenas para nos inspirar a pensar sobre nosso grau de competição, e o quanto ela pode estar deteriorando nosso caráter.

Leia Mais

Muita gente tem estudado e falado sobre Neurociência e suas aplicações. Hoje vamos refletir sobre o quanto os seis aspectos abaixo estão relacionados ao nosso desempenho nas organizações, nossa carreira e, acima de tudo, nossa felicidade.

1. RECOMPENSAS. A maioria das pessoas age evitando ameaças ou buscando recompensas. Fazer uma coisa para ganhar algo em troca costuma ser muito motivador. A neurociência comprova que a recompensa desencadeia a produção de dopamina, um neurotransmissor ligado a foco, memória e entusiasmo. Está desmotivado? Pense em como pode criar mecanismos de recompensa para aquelas tarefas que você precisa fazer (mas que sempre deixa pra depois).

Leia Mais

Você pode gostar ou não da Beyoncé, com uma coisa você vai concordar: ela consegue ter altíssimo desempenho em tudo o que faz. E consegue o mesmo de seu time, o que é sempre mais difícil.

O Eduardo Briceño, da Mindset Works, diz que a Beyoncé consegue isso porque trabalha sempre alternando dois objetivos: o do aprendizado e o do desempenho.

Mas você sabe o que isso quer dizer?

Leia Mais

WhatsApp chat