Já faz alguns anos que você promete estudar outra língua e não sabe por onde começar?

Então faça de 2019 o ano definitivo em que você vai tirar esse projeto do papel! Comece o ano com uma nova atitude diante do que você quer aprender. Não deixe para 2020 porque, na verdade, o tempo está esgotando e você não pode mais adiar…

 

Por quê?

Yuval Harari, autor do livro “21 lições para o século 21”, diz que em um futuro próximo os trabalhadores não vão mais sofrer exploração no trabalho, como acontece há séculos em muitos países. Parece uma boa notícia, mas não é. Ele acredita que vamos sofrer de outro mal: irrelevância. Ficaremos obsoletos. Máquinas, softwares, apps – tudo isso vai tornar milhões de pessoas desempregadas e sem chance de conseguir novos empregos, porque a tecnologia cria empregos em escala infinitamente menor que a indústria tradicional. E porque a tecnologia e a globalização juntas estão destruindo segmentos inteiros.

Maaas…… Se você é fluente em inglês, novas profissões estão surgindo para você nas áreas de tecnologia, comunicação, engenharia, administração e ciências.

Mesmo que em 2019 você não possa iniciar um curso tradicional, ou contratar uma escola para aulas online ao vivo, comece a aprender mesmo assim! Estudar sozinho – ou quase sozinho – é possível. É hora de aprender a aprender.

Aqui estão três dicas para você começar HOJE.

 

1 – Respeite sua agenda

Se não tem uma, abra no celular ou compre agora. Coloque o que quer/tem de fazer na semana, escolha os horários possíveis para cada ação, e a frequência na semana. Não deixe nem muito fácil, nem muito difícil de cumprir, e isso é só você quem pode determinar.

No começo é importante você seguir certinho para adquirir o hábito de ter novas tarefas no dia. Para algumas pessoas que querem começar e não parar de fazer atividade física, cozinhar uma comidinha saudável ou aprender um idioma, estabelecer dias e horários fixos para a tarefa é fundamental – do contrário você sempre colocará no lugar outra atividade mais urgente ou mais legal. Realizando a tarefa todos os dias mais ou menos na mesma hora, é mais fácil que ela se torne um hábito. E hábito é super difícil de adquirir, mas depois que você adquiriu, você faz sem pensar. Você não pensa se vai ou não escovar os dentes quando acorda, simplesmente faz.

Se você acha meio chato estudar sempre no mesmo dia e horário, ou tem uma agenda irregular – está mais ocupado em um dia, e menos em outro, tente estabelecer um número de horas semanais para se dedicar ao aprendizado de um idioma, como, por exemplo, quatro horas por semana. Aí é só dividir de segunda a sexta, ou incluir os finais de semana, e, se falhar, você compensa no dia seguinte, fechando a semana com as quatro horas com as quais se comprometeu.

E como conseguir encontrar este tempinho?

 

2 – Identifique e reduza seus excessos

– Não consegue assistir a apenas um episódio por dia da sua série favorita?
Estude primeiro e só depois vá para sua série, como um prêmio.

– Cuida demais da casa e da família?
Combine maior participação de todos nas tarefas da casa, para não sobrecarregar você. E também envolva as pessoas que você ama nos seus objetivos. Eu estudei espanhol e francês com a minha filha, e foi muito divertido.

– Esquece do tempo nas redes sociais?
Estabeleça limite de tempo para cada uma delas. Eu coloquei 15 minutos por dia para o Instagram, pelo celular mesmo. Eu recebo uma notificação, e me conscientizo de que tenho coisas mais relevantes (e até divertidas) para fazer.

Não se esqueça: diminua todos os excessos, pois uma pequena redução vai permitir que você cuide de algo que está sendo negligenciado.

 

3 – Descubra como você aprende mais rápido e melhor

Tem muitos métodos de ensino de idiomas por aí. Antes de qualquer decisão sobre escolas, professores, apps, vídeos etc pense como você aprende mais rápido, como você aprende melhor, como você tem prazer em estudar. Conheça você mesmo. Você gosta de aprender brincando? Gosta de ter professor? Acha bobagem ter de se deslocar até uma escola? Gosta do clima de uma escola? Prefere contato pessoal com outros alunos? Aprende sozinho? Acha ótimo não precisar se deslocar? Gosta de estudar a estrutura do idioma? Prefere tentar falar e depois analisar esta estrutura? Cada modalidade de curso e cada método podem ser perfeitos para determinados alunos – e podem não trazer resultado algum para outros. Antes de começar, busque ajuda de especialistas ou pense profundamente como você aprendeu o que sabe até hoje.
E se sentir que precisa de ajuda, contrate uma escola de qualidade, ou algumas horas com um consultor, para ajudar você com o estudo autônomo.

 

Escrito por Rosangela Souza e publicado na coluna semanal de inglês da Revista Exame. Editado para o blog da Companhia de Idiomas.

WhatsApp chat