David Fincher – aquele que adaptou House of Cards para a versão americana – mergulha agora no aspecto psicológico de pessoas que se tornaram muito perigosas para a sociedade. A série Mindhunter é baseada no livro homônimo, que, por sua vez, conta a história real do agente do FBI John Douglas. Tem mais diálogos inteligentes do que ação (o que é ótimo para praticar inglês), então alguns vão amar, e outros vão amar odiar. Tendo ou não planos de assistir, vale estudar algumas dicas de inglês de diálogos tirados do trailer.

Leia Mais

Vamos ser honestos?

O maior obstáculo para adquirir fluência em inglês não está exatamente no professor, na escola ou na metodologia. É fato e todo mundo sabe que o aluno sempre aprende, de um jeito ou de outro. Tem gente que aprende até sem escola. Claro que escolas e professores de qualidade aceleram o processo, assim como escolas e professores ruins fazem com que seus alunos levem anos para chegar no nível “quase intermediário”. Isso todo mundo sabe, todo mundo tem um amigo que estuda, estuda mas não evolui.

É hora de aceitar que os dois maiores responsáveis pela fluência em um idioma são bem conhecidos, mas que a gente sempre esquece: engajamento e motivação.

Você pode até se perguntar “mas engajamento e motivação não são praticamente a mesma coisa?”. Não são, não.

Vamos falar primeiro de engajamento. Pense na seguinte situação:

Leia Mais

Visão Estratégica, ou “saber se preparar para os próximos anos” é algo extremamente difícil para qualquer empresa.

No Brasil, mais difícil ainda. Vemos todos os dias notícias que mudam o comportamento do consumidor, aumentando ou diminuindo as incertezas e o medo do que pode vir.

A ExpoDisney, realizada em São Paulo em agosto 2017, trouxe como um dos palestrantes o Senior Manager/Finance da Walt Disney Company, Yonatan Politi. A palestra foi sobre o jeito Disney de realizar sua Visão Estratégica (ou Strategic Foresight: Como a Disney se prepara para os próximos 30 anos).

Mesmo em ambientes complexos e incertos, se não pensarmos no assunto, se não nos prepararmos para o futuro, seremos reféns dele. Tudo muda o tempo todo e, se ficarmos apenas ocupadíssimos com o nosso presente desafiador, podemos ter um futuro bem complicado.

Coloquei aqui alguns pontos abordados pelo Yonatan na palestra, para nossa reflexão. Nossa reflexão e não apenas sua! Como fundadora e sócia-diretora da Companhia de Idiomas, também trabalho no presente, garantindo o encantamento dos clientes com um time super qualificado e motivado. Mas principalmente trabalho no futuro, planejando a empresa, com serviços que o cliente nem sabia que queria, mas, quando conhece, percebe que era tudo do que ele precisava. Isso é inovação disruptiva em negócios maduros, não apenas em startups.

Mas vamos aos aprendizados e reflexões sobre nossas empresas e nossas carreiras:

Leia Mais


Arquivo

janeiro 2019

dezembro 2018

novembro 2018

outubro 2018

setembro 2018

agosto 2018

julho 2018

junho 2018

maio 2018

abril 2018

março 2018

fevereiro 2018

janeiro 2018

dezembro 2017

outubro 2017

setembro 2017

agosto 2017

julho 2017

junho 2017

maio 2017

abril 2017

março 2017

fevereiro 2017

janeiro 2017

dezembro 2016

novembro 2016

outubro 2016

setembro 2016

agosto 2016

julho 2016

junho 2016

maio 2016

abril 2016

março 2016

fevereiro 2016

janeiro 2016

dezembro 2015

novembro 2015

outubro 2015

setembro 2015

agosto 2015

julho 2015

junho 2015

maio 2015

abril 2015

março 2015

fevereiro 2015

janeiro 2015

dezembro 2014

novembro 2014

outubro 2014

setembro 2014

agosto 2014

julho 2014

junho 2014

maio 2014

abril 2014

março 2014

fevereiro 2014

janeiro 2014

dezembro 2013

outubro 2013

setembro 2013

agosto 2013

julho 2013

junho 2013

maio 2013

janeiro 2013

junho 2012

março 2012

fevereiro 2012

janeiro 2012

dezembro 2011

novembro 2011

outubro 2011

setembro 2011

agosto 2011

junho 2011

maio 2011

abril 2011

março 2011

fevereiro 2011

janeiro 2011

WhatsApp chat